_Insights

3 tendências do varejo digital no Brasil para 2022, segundo pesquisa

Imagem: Liza Summer/Pexels

O varejo digital segue avançando com velocidade no país. E hábitos de compra adquiridos durante a pandemia apontam para a consolidação de movimentos importantes que devem ser observados no próximo ano. É o que mapeia a pesquisa “Tendências do e-commerce no Brasil para 2022”, realizada pela Opinion Box, que ouviu 2.129 consumidores de todas as regiões que realizaram compras online nos últimos seis meses.

Segundo o levantamento, 71% dos consultados aumentaram a frequência de compra pela internet no último ano. E 49% pretendem aumentar ainda mais no próximo. Interessante notar que boa parcela dos compradores online (37%) declara que aderiu ao e-commerce nos últimos dois anos, período que coincide com a chegada da pandemia.

Diante do avanço progressivo do digital nas compras e das transformações nos comportamentos de consumo, a pesquisa identificou tendências que devem ser confirmadas em 2022 no país. Veja três: 

1. Jornadas de consumo híbridas

Não é futurismo. Segundo a pesquisa, as jornadas de compra dos brasileiros começam em qualquer ponto — físico ou digital — e se concluem em qualquer ponto. Enquanto 74% dos entrevistados já pesquisaram o produto online e compraram na loja física, 84% já fizeram o inverso: pesquisaram na loja física e acabaram comprando online.

Além disso, a experiência presencial com o produto não necessariamente está ligada à pronta entrega: 52% já compraram na loja e mandaram entregar em casa. Mas a compra online cada vez mais precisa prever a entrega imediata, com a possibilidade de retirada de produtos nas lojas. Essa hibridez, segundo o levantamento, deve se intensificar com a reabertura das lojas 

2. A loja e a carteira no smartphone 

Ao mesmo tempo que o smartphone se torna o principal dispositivo usado para a compra online, é nele também que os meios de pagamento emergentes se encontram. Segundo a pesquisa, 71% dos entrevistados usam o smartphone para fazer compras online. E 62% declaram que realizam compras pelos aplicativos das lojas.

O smartphone também está se tornando cada vez mais a carteira do consumidor, à medida que facilita o uso de novos meios de pagamento. O PIX é conhecido e usado por 86% dos entrevistados. A modalidade é seguida de carteiras digitais (62%), QR code (54%), reconhecimento facial (14%) e WhatsApp Pay (12%).

3. Vendedor humano no digital

O calor humano para auxiliar no momento da decisão de compra é valorizado pelos consumidores brasileiros. Segundo a pesquisa, um em cada cinco entrevistados diz que vai pessoalmente a uma loja para ser atendido por um vendedor. Mesmo os que compram online seguem indicações de vendedores: 46% já compraram por causa de conversas com vendedores em chats online de lojas, WhatsApp e redes sociais.

A maioria (62%) diz que já realizou consultas a vendedores por esses canais. E 78% dos entrevistados acreditam que um vendedor digital pode ajudar na hora de escolher um produto online, seja tirando dúvidas, explicando sobre funcionalidades, informando formas de pagamento, entre outros.


Quem faz os conteúdos UOL para Marcas:

Apuração e redação: Renata Gama / Edição e redes sociais: Raphaella Francisco / Arte: Pedro Crastechini
Gerente responsável: Marina Assis/ Gerente Geral: Karen Cunsolo