_Insights

Entretenimento é o que mais engaja brasileiros, e alcance é de 98%, diz Comscore

Duda Beat no programa Otalab de Verão, do UOL, com Otaviano Costa e Yas Fiorelo. Semanal recebe músicos e celebridades

Os conteúdos de entretenimento são os campeões de engajamento nas mídias sociais no Brasil, segundo o paper “O que atrai os brasileiros? Tendências de consumo audiovisual em 2022”, da Comscore. O relatório analisa o entretenimento doméstico no Brasil, e busca saber o que os consumidores mais acessam para se entreter em casa, com foco na música e no vídeo digital.

De acordo com o documento, nas redes sociais, a categoria Mídia & Entretenimento representou 43% do total de engajamento em 2021 no país, liderando o ranking. Em seguida, aparecem Veículos de Comunicação (25%) e Esportes & Lazer (19%).

E como vão os produtos de entretenimento?

A repercussão nas redes reflete a aderência dos brasileiros aos produtos de entretenimento, que demonstraram alto desempenho segundo a Comscore. Para analisar alcance e tempo gasto nessa categoria, o estudo considerou programas de televisão, filmes, música, notícias e informações sobre o tema acessados pela internet, seja por sites, plataformas e aplicativos móveis. Nessas métricas, ficaram de fora redes sociais e games. Segundo a Comscore, em 2021, o alcance do conteúdo de entretenimento foi de 98% da população digital brasileira.

Em comparação com outras modalidades de conteúdo, a de entretenimento é a terceira de maior alcance no país, ficando atrás apenas de Notícias/Informações (alcance de 99.8%) e Serviços (98.8%). No mundo, o Brasil foi o segundo país com maior alcance para a categoria. A liderança nesse quesito fica com o Reino Unido (98,7%).

Outro dado que demonstra o poder de atração do entretenimento para o brasileiro é o time spent. Em termos de tempo online, a categoria ocupa 16,1% do tempo total que a população brasileira passa na internet.

Por faixa etária, os maiores consumidores de entretenimento por tempo são os mais jovens, e a aderência vai se reduzindo conforme a idade. Os internautas de 18 e 24 anos ficam 27 horas por mês na internet consumindo conteúdo de entretenimento, quase o dobro da faixa acima de 45 anos (15 horas/mês).

Na comparação entre grandes plataformas provedoras de entretenimento, YouTube lidera o ranking de tempo total acessado, seguido de Spotify e Netflix. Mas, se olhado o tempo gasto por usuário, o Spotify ocupa o primeiro lugar, com 852 minutos por visitante único em dezembro de 2021. Em seguida vem YouTube (598 minutos/visitante) e Netflix (316 minutos/visitante).

De acordo com a análise da Comscore, o Brasil segue a tendência global de digitalização das sociedades, com o entretenimento na ponta dessa expansão. “Neste contexto, a indústria do entretenimento se converteu em provedor de primeiras experiências digitais; e agora podemos dizer que a responsabilidade de facilitar um serviço que priorize o entretenimento recai sobre os provedores de telecomunicações”, avalia o report.

Atento aos movimentos da audiência, a produção de conteúdo de entretenimento tem sido foco de investimentos do UOL desde 2020. Desde lá, surgiram programas fixos como Otalab, com Otaviano Costa, e Splash Show, além de séries como Botequim da Teresa, com Teresa Cristina, e Sai da Caixa, com Tiago Abravanel. Segundo Bebeto Pirró, diretor de publicidade do UOL, o mercado publicitário também aposta cada vez mais no segmento, especialmente depois que o varejo digital tem colhido bons resultados com esse foco.


Quem faz os conteúdos UOL para Marcas:

Apuração e redação: Renata Gama / Edição e redes sociais: Raphaella Francisco / Arte: Julianne Rodrigues
Gerente responsável: Marina Assis/ Gerente Geral: Karen Cunsolo