_Insights

Identidade e diversão: Roadshow do UOL aponta novas tendências de moda e beleza

Imagem: Mike Von/Unsplash

As mulheres estabeleceram uma nova relação com moda e beleza ao longo da pandemia. No momento em que, em função da crise, muitas reduziram gastos no segmento, valores como motivação e funcionalidade de produtos e marcas foram postos em questão. Com isso, acesso, cuidado, identidade e diversão crescem em relevância na consideração das consumidoras.

Essas são algumas das constatações do “Universa UOL: Planning & Insights”, um amplo mapeamento do mercado de moda e beleza, que reúne pesquisas quantitativas e qualitativas exclusivas do UOL, além de desk research e rastreamento de tendências pelo mundo. O resultado — completo ou com recortes — está disponível para marcas e agências parceiras, num roadshow elaborado por Carol Braga, gerente de planejamento e insights do UOL.

Durante a pandemia, 52% das mulheres pesquisadas reduziram suas compras de maquiagem, segundo levantamento exclusivo para Universa UOL, feito pela MindMiners. Houve também queda no consumo de roupas e acessórios (para 48%) e de produtos de beleza (36%).

No entanto, as mulheres seguem se alimentando de referências: 79% disseram que aumentaram ou mantiveram o interesse por conteúdos de moda e beleza no período. Esse é um indicativo de que o conteúdo e informação permanecem como fortes aliados de marcas nesse novo momento do setor.

Entenda os valores relacionados à moda e beleza que estão em alta, segundo o mapeamento:

Acesso

É a ideia de que beleza é para todes, numa relação mais inclusiva e democrática com a moda. Ser bela é estar confortável na sua pele, no seu corpo. Isso dá acesso aos conceitos de moda e beleza a um universo mais amplo de mulheres, que se sentem representadas.

Segundo o levantamento, 73% das entrevistadas concordam que as mulheres hoje são mais livres para terem a beleza que quiserem. E 75% acreditam que cada mulher tem seu tipo de beleza, mas que pra ser bonita, tem que se cuidar.

Identidade

A lente da selfie é a medida da beleza. Grande parte das mulheres tende a reproduzir referências de beleza mais próximas de sua realidade, consumindo prioritariamente produtos de beleza usados por pessoas com quem se identificam, como amigas (29%) e blogueiras (24%).

Parte significativa das mulheres entrevistadas (42%) diz que gosta de ver selfies de “pessoas “reais”/parecidas comigo”. A grande maioria diz que gosta de saber o que está na moda (72%), mas apenas 11% dizem seguir alguma tendência apenas por isso.

Cuidado

Os tempos de pandemia aproximaram o conceito de moda e beleza às necessidades de cuidado. Segundo a pesquisa, ter uma pele bem bonita é sinal de cuidado para 70% das entrevistadas. E 42% concordam que alguns rituais de beleza e cuidados as ajudaram a manter a cabeça no lugar.

Elas sentem que estão se cuidando quando fazem exercícios físicos (29%), cuidam dos cabelos (25%), dormem o suficiente (22%) e controlam a alimentação (22%). Relevante ainda ressaltar que a ideia de conforto se consolida no cuidado de si: 72% das entrevistadas preferem uma roupa confortável a uma roupa bonita.

Diversão

Beleza também é campo para experimentação, especialmente para a geração Z. E nesse quesito o principal produto é a maquiagem. Segundo a pesquisa, 54% buscam por inspiração de make up em plataformas de vídeo.

Mas ainda há barreiras para que muitas se joguem nas cores: 43% têm vontade de experimentar maquiagens mais ousadas (cores e estilos diferentes), mas ficam inseguras e acabam seguindo o estilo que já conhecem.

Para receber o roadshow exclusivo do UOL, presencialmente ou online, entre em contato pelo e-mail [email protected].


Quem faz os conteúdos UOL para Marcas:

Apuração e redação: Renata Gama / Edição e redes sociais: Raphaella Francisco / Arte: Pedro Crastechini
Gerente responsável: Marina Assis/ Gerente Geral: Karen Cunsolo