_Insights

Mulheres são metade da torcida e impulsionam jogos femininos de futebol

Imagem: Donny Cocacola/Unsplash

Quem pensa que o gosto pelo futebol é muito mais masculino do que feminino se engana. Há quase um equilíbrio de gênero entre os torcedores, segundo a pesquisa “A Torcida Brasileira”, realizada exclusivamente pelo UOL, em parceria com a MindMiners. São 51% homens e 49% mulheres. A pesquisa completa  mapeou a expectativa para o eventoa jornada de consumo, além de hábitos de uso de mídia.

Além disso, elas são as que mais impulsionam a popularidade do futebol feminino, segundo o Buzzmonitor, que mapeou o social listening em torno do assunto no Twitter. Para entender quem são as pessoas que falam sobre o tema na rede, a empresa conduziu o estudo de CCL (Consumer Centered Listening), em que analisou o perfil de 131 usuários que citaram o Campeonato Brasileiro Feminino (A2) em 2021. O torneio deste ano ainda está em curso.

Dos usuários que citaram o gênero em seu perfil, 62,3% são mulheres e 37,7%, homens. Para a análise, foram considerados os 200 últimos posts de usuários que mencionaram #BrasileirãoFeminoBinanceA2, #brasileirafeminino, #brasileiraofemininoneoenergia ou #brasileiraofeminoa2. As hashtags fazem referência à fase da série A-2. Dentro dessa esfera, as mulheres foram as que mais torceram pelo futebol feminino e difundiram o tema, segundo a pesquisa.

O levantamento também identificou tuiteiras que não estão apenas do lado de quem consome futebol, mas também de quem produz conteúdo especializado sobre o tema. Dos usuários analisados, 6,1% deles citam “jornalista” em seu perfil (75% mulheres), 3,81% “repórter” (60% mulheres), 3% “comentarista” (100% mulheres) e 1,52% “podcast” (100% mulheres). Nesse sentido, elas são as principais geradoras de conteúdo profissional sobre o futebol feminino.

Marcas no futebol feminino

O momento é de alta para o tema, com a Seleção Brasileira Feminina trazendo mais um troféu da Copa América, o oitavo da trajetória, com classificação para o mundial. No retorno ao Brasil com a taça, as atletas lideraram o movimento #BotaElasNoJogo, uma campanha pela representatividade do futebol feminino nos games — que ainda não contam com nomes de atletas profissionais mulheres entre os personagens. A campanha recebeu apoio do Guaraná Antarctica.

Para entender a relação entre as fãs de futebol e as marcas, o Buzzmonitor também mapeou quais foram mencionadas no contexto do futebol feminino. As que foram relacionadas de modo direto ao tema são as que fabricam ou vendem roupas e acessórios esportivos. As mais citadas são: Nike (17,55% das menções), Futfanatics (2,29%), Centauro (1,52%), Puma (0,76%), Adidas (0,76%) e Netshoes (0,76%). Isso mostra o quanto há espaço para marcas esportivas e de outros segmentos buscarem se aproximar das torcedoras de futebol.


Quem faz os conteúdos UOL para Marcas:

Apuração e redação: Renata Gama / Edição e redes sociais: Raphaella Francisco / Arte: Julianne Rodrigues
Gerente responsável: Marina Assis/ Gerente Geral: Karen Cunsolo