_Brainstorm

Caboré 2021 foi só das mulheres nas categorias profissionais. Por que isso importa?

Imagem: M&M/Divulgação

Samantha Almeida, ex-Twitter, diretora de criação da TV Globo, é a vencedora da categoria Profissional de Inovação

Fernanda Tedde (AlmapBBDO), como melhor profissional de atendimento; Gabriela Rodrigues (Soko), como melhor de planejamento; Manzar Feres (Globo), melhor de veículo; Mariana Sá (WMcCann), melhor de criação; Poliana Sousa (Coca-Cola), melhor de marketing; Samantha Almeida (Globo), melhor de inovação; e Vanessa Gianotti (Ogilvy), melhor de mídia, são as vencedoras nas categorias profissionais do Caboré 2021. Todas mulheres. Entre elas, duas negras.

Esse é um recado e tanto da 42ª edição da principal premiação do mercado publicitário brasileiro, que teve como tema “O futuro não é para amadores”. Um ano em que toda a indústria de comunicação se viu desafiada a se repensar, replanejar e reinventar, enquanto olha para as saídas possíveis do pós-pandemia, teve mulheres como referência de liderança.

Os premiados de todas as categorias foram escolhidos por meio de votação entre os assinantes do Meio & Mensagem, organizador do evento. “É bom lembrar do poder do nosso voto, não só para o Caboré”, disse Gabriela Rodrigues, da Soko, em seu discurso de premiação. “E é muito legal ver como vocês usaram o poder do voto de vocês.”  Os vencedores foram conhecidos em cerimônia nesta segunda-feira, 6, no Espaço Monte Líbano, em São Paulo.

A premiação ainda reconheceu Sergio Gordilho (Africa), como dirigente da indústria da comunicação; a agência Spark, como serviço de marketing; Porta dos Fundos, como veículo de comunicação – produtor de conteúdo; Endemol Shine Brasil, como produção; TikTok, como veículo de comunicação – plataforma de mídia; Vivo, como anunciante e Publicis, como agência de comunicação.

Ao dar chancela a nomes que representam pluralidade e diversidade no mercado, a indústria publicitária brasileira reconhece também os resultados positivos de renovar seus quadros de liderança, tornando-os mais igualitários.

Para que pessoas pretas sejam reconhecidas pelo seu trabalho, a gente precisa ter intencionalidade. Porque essas carreiras existem no mercado e constroem coisas relevantes. E porque é importante que a gente reveja o significado do que é inovação”, disse Samantha Almeida, em seu discurso.

Desde o anúncio da lista dos concorrentes, a premiação reflete a busca por renovação. Este ano, dos 42 indicados ao Caboré 2021, 31 disputaram o troféu pela primeira vez e 36 ainda não haviam recebido nenhuma coruja em suas gaiolas. Felipe Andreoli, apresentador da cerimônia desde 2019, marcou a transformação: “Eu estou aqui no meu terceiro ano seguido e posso testemunhar que esse prêmio está mudando. É assim que as coisas mudam, com exemplo.”


Quem faz os conteúdos UOL para Marcas:

Apuração e redação: Renata Gama / Edição e redes sociais: Raphaella Francisco / Arte: Julianne Rodrigues
Gerente responsável: Marina Assis/ Gerente Geral: Karen Cunsolo